DB2 - Banco de dados - Instruções e Funções Básicas Usadas nas Consultas do QMF



Desenvolvido por DORNELLES Carlos Alberto - Analista de Sistemas - Brasília DF. - cad_cobol@hotmail.com

DB2 SQL - Instruções e Funções Básicas Usadas nas Consultas do QMF

É possível emitir instruções SQL diretamente para o banco de dados a partir do painel Consulta SQL do QMF.
O painel Consulta SQL suporta todas as instruções SQL que podem ser executadas dinamicamente.

Instruções e palavras-chave SQL selecionadas que são utilizadas nas consultas SQL do QMF são descritas neste tópico.

Ao digitar uma consulta no painel Consulta SQL, lembre-se de:

  1. Colocar as palavras reservadas entre aspas duplas.

    Em muitos casos, palavras que são palavras-chave nos sistemas de gerenciamento de banco de dados não podem ser utilizadas como o nome de uma tabela, visualização, coluna ou índice em uma consulta SQL do QMF, a menos que elas estejam entre aspas duplas.

  2. Coloque entre aspas duplas qualquer parte de um nome do objeto que se estenda por duas ou mais linhas.
    Quando qualquer parte de um nome de objeto (o local, o ID de autorização ou o nome do objeto em si) continua em uma nova linha, essa parte do nome deve ser delimitada por aspas duplas.
    A figura a seguir mostra um exemplo de um nome de objeto longo que se estende por duas linhas.
    O nome é qualificado com um ID de autorização que também se estende por duas linhas.

    Figura 1. Delimitando nomes de objetos qualificados que se estendem por várias linhas.

    SQL QUERY                            LINHA MODIFICADA  1       
    SELECT * FROM "VERY_LONG_AUTHID_XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
    XXXXXXXXXXXX"."VERY_LONG_TABLE_NAME_XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
    XXXXXXXXXXXXXXXXX"                                                                               
    
    
    
    
    
                                                                            
  3. Ative o suporte para várias instruções e utilize a sintaxe apropriada se a consulta contiver mais de uma instrução SQL.

    Para incluir várias instruções SQL em uma consulta SQL do QMF, configure a variável global DSQEC_RUN_MQ para 1 e coloque um ponto e vírgula no final de cada instrução, exceto a última.

    As instruções CREATE PROCEDURE e CALL devem ser usadas sozinhas em uma consulta.

    Não pode ser usada mais de uma instrução SELECT em uma consulta que inclua outras instruções SQL.

Quando sua consulta SQL faz referência a um nome não qualificado de tabela ou visualização, o QMF envia o nome não qualificado para o DB2 para resolução.
O DB2 usa o valor do registro CURRENT SCHEMA para qualificar o nome da tabela ou da visualização.
O QMF permite a emissão de instruções SET CURRENT SCHEMA para alterar o valor desse registro.


Funções Descrições
ALL Uma subconsulta geralmente retorna apenas um valor.
Entretanto, é possível que uma consulta retorne um conjunto de valores.
Com ALL, cada valor do conjunto retornado deve ser satisfeito.
ALTER TABLE Você só poderá alterar uma tabela se você tiver criado a mesma ou se estiver especificamente autorizado a alterá-la.
A instrução ALTER TABLE especifica qual tabela existente deve ser alterada.
AND Você pode selecionar linhas com base em múltiplas condições conectadas por AND ou OR.
ANY Uma subconsulta geralmente retorna apenas um valor.
Entretanto, é possível que uma consulta retorne um conjunto de valores.
AS Você pode utilizar uma cláusula AS em uma instrução SELECT para nomear ou renomear uma coluna de resultados em uma consulta.
O nome não deve ser qualificado e não tem que ser exclusivo.
AVG AVG é uma função de coluna válida somente em colunas que contêm dados numéricos.
BETWEEN x AND y Você pode recuperar dados de cada linha cuja coluna, nomeada em uma cláusula WHERE, possua um valor dentro de dois limites.
Utilize BETWEEN no lugar uma condição de AND ao utilizar os operadores maior do que ou igual a (>=) e menor do que ou igual a (<=).
CALL Para executar um procedimento armazenado a partir de uma sessão do QMF, é necessário emitir uma instrução CALL a partir do painel SQL Query.
O banco de dados para o qual a instrução CALL é direcionada deve suportar a habilidade de chamar um procedimento armazenado.
COMMIT A instrução COMMIT aplicará todas as alterações do banco de dados que tiverem sido feitas durante a unidade de trabalho contendo a instrução de confirmação.
COUNT A função COUNT conta apenas valores não-nulos. Portanto, o tipo de dados do resultado da função COUNT sempre possui o atributo NOT NULL.
CREATE SYNONYM A instrução CREATE SYNONYM define um nome alternativo para uma tabela ou exibição.
Isso lhe permite referir-se a uma tabela de propriedade de um outro usuário sem precisar digitar o nome especificado por completo.
CREATE TABLE A instrução CREATE TABLE define uma tabela.
Você fornece o nome da tabela, os nomes e atributos de suas colunas.
Você poderá conceder ou revogar autorização para que outras pessoas utilizem uma tabela que você criou.
CREATE VIEW Uma visualização é uma tabela lógica que contém dados selecionados das tabelas existentes.
A exibição pode renomear e rearranjar colunas, omitir colunas ou linhas não-desejadas, definir colunas com expressões, agrupar resultados e combinar mais de uma tabela.
DELETE Você só poderá excluir linhas de uma tabela se você tiver criado a tabela ou estiver especificamente autorizado para isso.
Você pode excluir informações de uma tabela, por linha.
Os campos individuais de uma linha ou de colunas completas de informações não podem ser excluídos.
DISTINCT Utilize a palavra-chave DISTINCT antes dos nomes da coluna em uma instrução SQL para evitar duplicar que as linhas sejam excluídas.
DROP A instrução DROP exclui tabelas, visualizações, sinônimos, aliases, e outros objetos (como índices) do banco de dados.
EXISTS A instrução EXISTS determina se existe uma linha que satisfaça uma determinada condição.
GRANT A instrução GRANT autoriza os usuários a executar uma ou mais operações em uma tabela.
GROUP BY A instrução GROUP BY identifica uma coluna selecionada a ser usada para agrupar os resultados.
Separa os dados em grupos pelos valores da coluna especificada e retorna uma linha de resultados para cada grupo.
HAVING A cláusula HAVING filtra resultados obtidos pela cláusula GROUP BY.
No exemplo a seguir, a cláusula HAVING COUNT(*) > 4 exclui do resultado final todos os departamentos com quatro membros ou menos.
IN Utilize a instrução IN para recuperar as linhas que correspondem a pelo menos um valor em um grupo de valores especificado.
INSERT INSERT é uma instrução SQL que adiciona dados a uma tabela.
IS A palavra-chave IS é usada apenas com NULL e NOT NULL.
LIKE LIKE só pode ser usado com dados de caracteres, gráficos e binários em consultas SQL e só com dados de caracteres e gráficos em consultas QBE.
MAX e MIN MAX e MIN operam nas colunas que contêm dados de caractere, gráficos, numéricos, de data/hora e binários (exceto para dados de objeto binário maior, ou BLOB).
NOT Você pode excluir dados usando a palavra-chave NOT na cláusula WHERE da consulta.
NULL Se uma tabela for criada e apenas parcialmente preenchida com dados, os campos que não contêm dados são considerados como nulos, significando que seus valores são desconhecidos.
OR É possível selecionar as linhas baseadas em múltiplas condições conectadas por OR.
As condições conectadas por OR selecionam cada linha que satisfaz qualquer uma das condições.
ORDER BY Como parte da instrução SELECT do SQL, você pode especificar a seqüência na qual as linhas selecionadas são exibidas.
Você também pode excluir linhas duplicadas em uma seleção.
REVOKE A instrução REVOKE remove a autorização concedida por uma instrução GRANT.
SELECT Com a instrução SELECT, você poderá especificar o nome de cada coluna que deseja recuperar de uma tabela.
Você pode nomear uma ou mais colunas de uma tabela ou exibição ou selecionar todas as colunas.
Cada instrução SELECT pode selecionar informações de diversas tabelas.
SET DB2 global variable É possível usar a instrução SET em uma consulta SQL do QMF para configurar variáveis globais do DB2 for z/OS ou DB2 for Linux, UNIX and Windows .
CONFIGURAR special register É possível utilizar a instrução SET em uma consulta SQL do QMF para configurar os registros especiais listados neste tópico.
SOME Utilize a palavra-chave SOME com operadores de comparação para permitir que uma consulta retorne um conjunto de valores em vez de um único valor.
SUM SUM só é válido em colunas que contêm valores numéricos.
UNION UNION combina as linhas de duas ou mais tabelas em um relatório.
Para fazerem sentido, essas linhas devem estar relacionadas umas às outras, possuir a mesma largura e ter o mesmo tipo de dados.
UPDATE A instrução UPDATE altera os valores de colunas existentes especificados em linhas de uma tabela.
Você só poderá atualizar uma tabela se tiver criado a tabela ou estiver autorizado a atualizar a tabela.
WHERE Utilize uma cláusula WHERE em sua instrução SELECT para especificar uma condição (um ou mais critérios de seleção) que identifica a(s) linha(s) que você deseja recuperar, atualizar ou excluir.
Apenas as linhas que satisfazem a condição da pesquisa são afetadas.
Resultados Calculados Você pode utilizar valores calculados como parte de uma condição de pesquisa.
Você também pode exibi-los para linhas selecionadas da mesma forma como exibe valores de colunas.
Funções escalares do SQL Três tipos de funções escalares do SQL são funções de data/hora, funções de conversão e funções de cadeia.
Concatenação O operador de concatenação (CONCAT) une dois valores de uma expressão em uma única cadeia.
O operador alternativo para CONCAT é ||. Em razão de as barras verticais poderem causar erros de análise em instruções transmitidas de um sistema de gerenciamento de banco de dados para outro, o CONCAT é o operador preferido para instruções executadas em locais remotos.
DB2 QMF Library - PDF Esta página fornece links para recursos e informações da documentação do QMF em PDF.


© Copyright IBM Corp.