Menu principal                 [Fechar]


COBOL - Introdução - www.cadcobol.com.br



Desenvolvido por DORNELLES Carlos Alberto - Analista de Sistemas - Brasília DF. - cad_cobol@hotmail.com

A palavra COBOL é a abreviação de COMMON BUSINESS ORIENTED LANGUAGE
COBOL é uma das primeiras linguagens de programação de alto nível disseminada no mundo do Processamento de Dados.
Nasceu, graças a iniciativa do Departamento de Defesa Norte-Americano, que presenteou o mundo com esta linguagem fantástica.
Sua primeira versão foi lançada em 1961.
Há, com certeza, um exército de pessoas desejando a morte do COBOL.

Mas o COBOL é imortal!

Este desejo mórbido está ligado, em parte, ao não conhecimento de todo o potencial desta linguagem.
As frases absurdas "'O COBOL está desatualizado" e tantas outras, demonstram a ignorância e a falta de com sendo daqueles que as dizem.
Contrariando tais frases e muitas profecias, o COBOL passou da idade de Cristo, e está chegando à idade do lobo, demonstrando assim, a sua força e resistência às intempéries e às más profecias.
Paremos e olhemos para trás. Quantos softwares, entre Linguagens, pseudo-linguagens e outros, em 36 anos, nasceram e morreram? (sem falar nos softwares natimortos).
Vários. Mas, e o COBOL? O COBOL continua vivo.
E por que o COBOL é imortal?
Porque não é propriedade de uma empresa ou grupo de empresas, o que não acontece com os outros softwares, que têm uma software house na qualidade de seu proprietário.
O que acontece?
Acontece quando esta software house encerra as suas atividades, ou quando deixa de dar continuidade a um software?
Os seus usuários e clientes ficam desamparados, sem atualizações, sem suporte, sem poder evoluir, comprometendo seu desempenho.
Com certeza, empresas que começaram a usar o COBOL, seja no Mainframe, seja no Micro, não têm, nem terão tal preocupação.
O objetivo deste site é que VOCE conheça e aprenda mais sobre o COBOL, esta poderosa linguagem de programação.

Ignorar o COBOL é ignorar, entre outras coisas, a arte de programar computadores!

Joel Saade - Maio/1997